Reboot

Carefully crafted in 22 Nov 2015

Livro dos 20 anos

Celso and SAPO are ‘finito’

Este é o momento em que deixo o SAPO, o projeto que ajudei a criar há 20 anos nas catacumbas da Universidade de Aveiro juntamente com o Junior, o Hélder, o Sérgio, o João Luís e o “Cooker”.

No dia 23 de Outubro de 2015, por volta das 18 horas, apresentei a minha carta de demissão ao presidente executivo da PT Portugal. Antes disso, mais precisamente no dia 4 de Setembro, dia do vigésimo aniversário do SAPO, por motivos que por pudor provavelmente nunca relatarei, tomei em consciência a decisão de o fazer. Horas antes cantava os parabéns com a equipa e apagava as velas do bolo em cima do coreto na Praça José Fontana. Fi-lo com um sorriso postiço, danado com o que o destino me tinha reservado para este dia de celebração. Finalmente entendi, em plenitude, o que era a tal solidão da liderança de que os outros me falavam.

Por várias vezes fantasiei com o momento da despedida do SAPO, confesso. Nestas duas décadas de carreira passei por alguns momentos que testaram os limites da minha determinação e resiliência. Normal, mas as dificuldades nunca se sobrepuseram à força da enorme realização profissional que só um projeto do calibre do SAPO me podia oferecer. E por isso as mangas foram-se arregaçando, sempre, e as batalhas vencidas, e as forças recuperadas, e isto repetiu-se.

As mangas foram-se arregaçando, sempre, e as batalhas vencidas, e as forças recuperadas, e isto repetiu-se.

O SAPO e a PT proporcionaram-me um dos percursos profissionais mais ambiciosos, empreendedores, internacionais, diversificados e invejáveis com o qual eu só poderia sonhar quando comecei a minha carreira, e permitiram-me contribuir para construir uma cultura absolutamente única que fez do SAPO um dos locais mais apetecíveis e ambicionados para se trabalhar na Web em Portugal. A minha gratidão por isso é inexpressável.

Esta indescritível aventura que eu tive o privilégio de protagonizar, merece ser documentada um dia. Há material suficiente para vos entreter durante meses, juro-vos. Por este sítio que foi o SAPO, passou uma das equipas mais absolutamente geniais, de gabarito mundial, garantidamente. Estas pessoas de tantos perfis diferentes e com passados e experiências tão díspares construíram um ambiente único, valioso, raro, do qual saíram centenas de feitos enormes, demais para referenciar aqui, improváveis aos olhos dos outros, orgulhosamente naturais para mim.

O HTML5 vai ser deste tamanho

No SAPO, fiz os meus melhores amigos de hoje, muitos conheci-os quando a Internet era feita do ruído dos bauds a guinchar nos modems e quando dormir era uma função aparentemente sobrevalorizada e desnecessária. Alguns, sempre com dor, saíram a meio da jornada. Uns meteram-se em aviões e foram ensinar pequenas empresas como o Google ou a Amazon do que é feito o talento português, com a distinção que não me surpreendeu. Outros voltaram e encontraram as portas abertas, porque nós éramos desse tipo. Outro, em particular infelizmente já não se encontra entre nós mas lembro-me dele com frequência, sempre. Todos eles deixaram marca e a todos o SAPO marcou, tenho a certeza. Uma vez SAPO, sempre SAPO, diz-se.

Amigos com A grande

Porém ponto final, este parágrafo termina aqui.

Reboot

Agora eu devia tirar umas férias, umas semanas talvez, seria o passo lógico numa situação destas.

Mas eu nunca fui muito pela lógica. Fuck logic, digo eu, ninguém tem tempo para isso.

A construção de um novo estúdio de software e o meu regresso às origens, a fazer o que realmente quero, começam hoje.

Para dizer a verdade já tudo começou há umas semanas.

Apresento-vos portanto a Bright Pixel, por agora uma inevitável landing page hipster, mas em breve um polo real de talento e de ambição global, um local onde se pretende criar uma cultura única e criar condições para conseguir gerar ideias de projectos e produtos com potencial para desafiar a linearidade da lógica comum.

Bright Pixel

Na Bright também não me vou esquecer de tudo o que fizemos estupidamente certo no SAPO, da relação com a academia, com o talento e com o emergente, podem ter a certeza. Vocês sabem quem são.

Acredito, com conhecimento empírico e validado, que para extrair o potencial máximo de equipas de tecnologia e criativas e obter a tão desejada e tão rara, inovação espontânea, é necessária uma cultura baseada em mérito, transparência, honestidade, colaboração, sentido de propriedade pelos projectos e total responsabilização. Parece óbvio, mas é tão difícil de executar. É o que me proponho fazer.

Que bem que sabe, começar tudo de novo.

A Bright Pixel está a ser construída e pode demorar algum tempo até chegar onde se pretende. Não espero facilidades nem vou arrepiar caminho à custa de erros que possam comprometer a visão e as prioridades, estas sim muito bem definidas.

No entanto, já há passos importantes dados!

É com orgulho que posso agora anunciar o primeiro dos projectos da Bright, lançado em parceria com a Sonae IM, com o objectivo de responder aos grandes desafios do sector de Media. Outros projetos noutras áreas e verticais se seguirão. A Sonae IM é a holding do Grupo Sonae que investe em empresas inovadoras com tecnologia para os sectores de Retalho e Telecom, as áreas core do grupo, e que tem no seu portfolio vários investimentos em empresas como a Wedo, a Movvo ou a S21sec, bem como uma ligação próxima a empresas como o Público, entre outras.

Que bem que sabe, começar tudo de novo.

Obrigado

Este post não é lá grande novidade para muitos dos meus amigos.

Apesar da minha deliberada tentativa de ser discreto desde o dia 23 de Outubro e até hoje, há coisas que vão saindo para fora das quatro paredes. Desde então tenho sido uma extremamente feliz e surpreendida vítima de centenas de manifestações de amizade, lealdade e apoio, algumas provenientes dos sítios mais improváveis.

Durante estas semanas que se passaram deram-me tudo e eu nunca vos conseguirei retribuir, e peço-vos desde já desculpa por isso. Num jantar de despedida, estrategicamente, acredito eu, feito na Voz do Operário, duas centenas de amigos conseguiram colocar um homem crescido e cheio de testosterona numa roleta russa de emoções e à beira de verter umas lágrimas. Raios vos partam por isso.

A todos vós, o meu profundo e sentido Obrigado, nunca vos esquecerei.

Obrigado.

Até já.

Comments

comments powered by Disqus